segunda-feira, 9 de maio de 2011

O Planejamento Estratégico na Saúde Pública: quais os desafios?

Evidenciamos os desafios na implantação da mudança nas organizações de saúde para a democratização dos processos, do planejamento e da gestão. Acredito que enfrentamos questões de ordem política e social.
Muitas das dificuldades das mudanças nas organizações ocorrem por questões sociais do indivíduo, como insegurança e medo.     
Na relação de saúde e doença nos deparamos com a realidade de que o grupo que mais utiliza os serviços de saúde no Brasil é o grupo de menor renda per capita.
Também nos deparamos com a banalização de alguns serviços públicos de saúde no que se refere à omissão por uma parcela de profissionais de saúde e o desrespeito com o usuário/ paciente.
Mesmo os profissionais que não exercem o atendimento direto ao paciente, como nas áreas de diagnóstico e nas áreas administrativas e gerenciais, percebemos certa angústia em função do próprio contexto em que se inserem as organizações públicas no Brasil.   
O planejamento e a gestão possuem desafios em sua implantação pela dificuldade de interação entre os responsáveis pela organização e os diversos profissionais na busca de seus objetivos. 
Há a necessidade de autonomia dos profissionais responsáveis pelo planejamento e pela gestão para a sua construção de forma coletiva.
Acredito que estas dificuldades são mais frequentes em serviços de saúde pública, pois tenho percebido um avanço em hospitais privados em relação a construção do planejamento estratégico e sua disseminação nas organizações de saúde.


Referência: Marilene de Castilho Sá. Subjetividade e projetos coletivos: mal-estar e governabilidade nas organizações de saúde. Ciência & Saúde Coletiva. Vol. 6. Nº 1. Rio de Janeiro. 2001.  

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232001000100013

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente e opine sobre este assunto:

Postar um comentário